Avatar - trailler

Loading...

Ciberliga - ABCiber

Loading...

Discutindo conceitos de arte e autoria

Loading...

WEB 2.0

Loading...

CIBERCULTURA: INSIGHTS PARA DEGUSTAR

Loading...

Novidade Microsoft - Virtualidade Total

Loading...

SL: Brazilian Music, Culture and Graphic Production (26/08/2009)

Loading...

SL como ferramenta de socialização e educação (04/08/2009)

Loading...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

FINALIZAÇÃO DE NOTAS DA AP1

CAROS ALUNOS, HOJE CONCLUIMOS A NOSSA PRIMEIRA ETAPA NA DISCIPLINA COM O TEXTO POSTADO NO FÓRUM DO PORTAL ACADEMUS. TRATA-SE DA ÚLTIMA ENTREVISTA ANALISADA DO "CRONICAMENTE VIÁVEL" (NOBLAT e FERRÉZ). ÀQUELES ALUNOS QUE NÃO PARTICIPARAM DA AULA, OU AINDA, ÀQUELES QUE POR VENTURA NÃO PUDEREM ENREGAR A AVALIAÇÃO OPTATIVA ATÉ ÀS 23h59min DE HOJE, PODEM POSTAR SEUS COMENTÁRIOS ACERCA DESTE DEBATE AQUI, NESTE ESPAÇO. (VALOR DA ATIVIDADE: ATÉ 2,0).

17 comentários:

  1. Poxa Lins, adorei esses últimos textos, inclusive o do Ferréz, carambra muito bom. Adorei o blog dele, eu não conhecia =( Obrigada por me mostrar. =)
    Aaaa... sei que é besta, mas no meu blog tem uma suuuuuuuuper pequena poesia para você! Feita por mim e a Livinha! kkkkkkkkkk... Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Puxa, realmente muito pertinente e proveitosa essa entrevista do Noblat. Às vezes ficamos meio curiosos de saber como é possível fidelizar alguém na Web, uma vez que os usuários estão, mais que em qualquer outra mídia, sendo o tempo todo "bombardeados" por uma infinidade de informações. Impressionante como algó que começou meio de improviso acabou por obter a dimensão e a importância de hoje. Refleti depois sobre como a Internet é capaz de potencializar nossas mais simples ideias, que por vezes parecem não ter maior importância nem grandes incentivos. Lembremos, pois, as simples ideias que têm de vez em quando os já célebres Larry Page e Sergey Brin, fundadores do Google, ou ainda o enigmático Steve Jobs, da Apple e, sem ir muito longe, os brasileiros que fundaram o "Buscapé", vendido a poucos dias por muitos milhões de dólares. Lógico que não aparecerão frequentemente steves jobs da vida, mas com os blogs e tudo o que gira em torno deles podemos mostrar o que queremos, abrir nossa janela virtual e gritar de forma a ser ouvido por milhares de quilômetros. Viva a maravilhosa diversidade virtual, do blog do Noblat ao site do "pudim" (http://www.pudim.com.br/), porque todos têm algo a mostrar.

    ResponderExcluir
  3. Uma das coisas que refleti enquanto debatia sobre os etxtos com meu grupo hoje de manhã foi o seguinte: afinaç, os blogs são mais meios de expressão ou de comunicação? Eu explico-lhes a diferença simplesmente porque no primeiro caso você não está somente relatando, mas também está espressando seu ponto de vista, sua lógica. Já no segundo ponto você, no sentido jornalístico da palavra, está transmitido informações de forma clara, objetiva, imparcial e impessoal. No texto do Noblat ele diz que não é de ficar expressando sua própria opinião nos textos que escreve, mas ele o faz. Mas por que não o faz com mais frequência? Não só pelo fato de ser jornalísta, mas também porque seu blog está vinculado á Globo (seu patrão). Se analisarmos blogs de diversos assuntos (a maioria de pessoas não tão célebres ou renomadas como Noblat) veremos que muitos não possuem um conteúdo exatamente relevante para a maioria de nós, são apenas observações, opiniões e pontos de vistas diferentes e que querem apenas serem expressados para outros.
    Não estou de forma alguma querendo desmerecer o valor dos blogs, tanto que relembro o trecho em que Noblat falou sobre a importância que o seu ganhou na época do Mensalão. Também relembro de um caso ainda mais recente, no dia da morte do cantor Michael Jackson foi um blog de fofocas (TMZ) o primeiro a anunciar a notícia, horas antes das mídias convencionais. Graças a esse episódio, o TMZ ganhou mais credibilidade, mostrando que nem toda fofoca é descabida ou sem nexo.
    Não sei se algum dia os blogs poderão ser chamados de meios de informação confiáveis, mas acredito que , assim como faço neste blog com os textos de meus colegas, algumas opiniões podem ajudar a construir ou a criar boas idéias e teorias.

    ResponderExcluir
  4. Blogs... parece que foi ontem que ouvi pela primeira vez esse novo termo. Eu costumava entrar em blogs e sinceiramente não via a diferença entre os blogs e os sites normais. A ficha caiu quando eu vi uma pagina enooorme cujo conteudo era tipo um abte papo entre o blogueiro e um leitor...ambos discutiam sobre um video que o blogueiro tinha colocado no blog. eu achei fantástica essa dinámica e até ousei participar dos longos comentários feitos um ao outro. Essa experiência foi ótima pois percebi mais do que nunca que o mundo é pequeno, ja que todos os três eramos de países diferentes e falavamos idiomas diferentes. Foi então que meus horizontes em relação aos blogs se abriram e teorias começaram a emergir a minha cabeça e, eventualmente foram testadas e confirmadas. A mais legal foi em relação à "conteúdo do blog/identidade virtual do blogueiro". Por algum tempo fiquei observando os conteudos de blogs de alguns amigos meus e pude observar que os conteudos de alguns deles nao batia com as coisas que eles gostavam de fazer, ou que gostavam de falar. Entao percebi que era simplesmente uma questao de identidade virtual. Com a chegada do Second Life pude ver mais claramente como este fenomeno de identidade se da; mas o fato é que o blog possibilitou aos meus amigos uma oportunidade de rever seus conceitos de personalidade e de interesses, o que acho em certo ponto, muito legal. Por outro lado tem outros que simplesmente expressaram todo seu talento nos blogs. O blog serviu como um meio fantastico de maximizar os talentos dos meus amigos. Outros ainda o usavam como diário, e expressavam suas raivas da sociedades nele, sem saber e sem querer, as vezes escrevias belissimas crônicas, que pela preguiça ou pela falta de tempo não exerciam a escrita e graças ao blog descobriam suas aptidões para essa área. Pessoalmente acho o blog uma ferramenta ótima e que serve para várias coisas, dependendo do uso que você dê a ela. Mas de qualquer maneira, é fantástico. A minha caminhada pelos blogs ta so começando... embora ja tenha feito varias coisas...pois eu sei que é uma ferramenta que muito vai dar o que falar ainda.

    ResponderExcluir
  5. Prof, segue as respostas para as perguntas questionadas da AP1.

    Defino a cibercultura como um meio que possibilita diversas maneiras de comunicação através do padrão da tecnologia que compõe os meios de comunicação de massa, hoje.
    Ciberespaço seria a ferramenta que propicia a relação emissor e receptor, ou seja, o canal o que permite essa interação. Exemplificamos a internet ou ainda alguns programas inseridos nela que permitem essa interação (MSN, Orkut, Facebook, etc.). Com o seu advento, a Internet tornou-se algo mais que necessário no cotidiano das pessoas, ainda mais hoje que o acesso não se encontra mais tão restrito como antes.
    Através dos textos lidos da pensadora Lídia Silva, os conceitos de esfera pública, virtualizadade e territorialização estão diretamente ligados. A esfera pública seria a dimensão na quais os assuntos públicos são discutidos entre emissores e receptores; a virtualizade é tudo aquilo que não se pode palpar nessa dimensão, ou seja, geralmente algo abstrato sobre uma coisa real; já a territorialização está ligada as diversas formas de organização e reorganização da sociedade, como por exemplo, modos diferentes de percepção e ordenamento, entre o emissor e as suas relações para com o espaço.

    Abraço,

    Robertinha :)

    ResponderExcluir
  6. CIBERCULTURA
    O mundo hoje vive uma nova forma cultural, a cibercultura. Podemos afirmar que ela abrange fenômenos sociais ou culturais relacionados ao ciberespaço, ou seja, os comportamentos, entendimentos e atitudes associadas as formas de comunicação mediadas pelas novas tecnologias,suge com o crescimento das tecnologias digitais e foi marcada, em seu inicio, por atitudes de pessoas contrárias ao domínio tecnológico.

    CIBERESPAÇO
    Qundo o assunto hoje em dia é sobre novas tecnologia logo se vem o nome ciberespaço também usado cada vez se tratando novas mídias Muito embora nos interesse aqui o ciberespaço proporcionado pela Internet, a abrangência dessa expressão e do seu significado vai muito além dessa nova mídia, pois como veremos em nossas vida daqui pra frente envolve toda infraestrutura das redes telecomunição, assim como as informações e até os seres humanos. O próprio termo surge antes mesmo da chegada da Internet propriamente dita.

    ResponderExcluir
  7. Professor Lins - Cibercultura - Prova
    Aluno: Lincoln De Figueiredo Vieira


    Definir Cybercultura e ciberespaço:

    Cibercultura: De acordo com um Antropólogo, tudo é cultura, portanto entendo que a Cybercultura é todo e qualquer tipo de informação postada na rede mundial de computadores (Internet) que vai beneficiar ou não para os usuários do sistema.

    Cyberespaço: O ciberespaço é quando nos relacionamos com alguém sem necessitar de outra pessoa intermediar, ou seja podemos citar o Msn, o Orkut, e alguns site de relacionamentos. A própria telefona móvel é um ciberespaço por não necessitar de mediadores, quando ligamos o receptor nos atende e podemos dialogar. A própria internet é um exemplo de ciberespaço devido a procura de informações sem precisar de mediadores, ou seja homens controlando, não precisamos pedir licença pra ninguém, claro só em alguns casos.


    Esfera Pública.

    A autora acredita que a idéia de esfera pública esta fragilizada e define que estamos vivendo uma solidão organizada. Ela tem razão por um lado, e não tem razão por outro.

    Justifico que infelizmente existem realmente pessoas que não se comunicam com os pais e familiares “claro que não por 24 horas” pelo fato do “vício” de estar navegando, outros não prestam atenção na aula e etc. Essa atitude atrapalha por que a conclusão não pode ser nada agradável, no sentido que a família também precisa de atenção, e o usuário viciado acaba fragilizando seu convívio em família e até no meio da sociedade, pois ele se isola completamente, e por isso, sua sociabilidade acaba sendo atingida.

    ResponderExcluir
  8. Professor Lins,
    Desculpa pela minha ausência em sala de aula e virtual, pois houve um contratempo e não consegui solucioná-lo, e tive que resolver problemas urgentes, e deste modo não consegui acessar a internet e enviar as questões.

    Avaliação Parcial 1
    Aluna: Bruna Vieira Gondim
    Turno: Manhã


    1) Definir Ciberespaço e Cibercultura:

    No Ciberespaço todos nós podemos receber e emitir informações de qualquer lugar que estivermos, há uma maior interatividade, pois através da internet nos comunicamos pelos blogs, e-mails, Messenger, entre outros. Tanto a informação sendo na escrita, ou emitindo sons. Quanto mais pessoas tiverem acesso ao ciberespaço, mais se desenvolverão novas formas de ‘sociabilidade’.

    Na Cibercultura está presente na vida cotidiana de cada um de nós, pois envolve trocas entre a Sociedade, Cultura e as Novas Tecnologias. É a nova forma de cultura. É a quebra de espaço e tempo, aproximando cada vez mais os indivíduos, nos quais um ou poucos indivíduos passam informações para uma maior quantidade de pessoas. É um experimento de novas formas de comunicações.

    2) Discuta os conceitos abaixo a partir dos textos de Lídia Oliveira Silva:

    Espaços públicos: Atualmente a maioria das pessoas queixa-se da falta de comunicação entre os elementos da família e da comunidade. O mundo virtual da internet surge como uma nova oportunidade, como possibilidade de comunicação aparentemente segura e sem conflitos, enquanto que no mundo real os conflitos se multiplicam e a insegurança se instala. E já que isso acaba ocorrendo, as pessoas se prendem a esses espaços públicos que são proporcionados pela internet, são comunidades virtuais, e nelas as pessoas estão tentando se desprender da realidade.

    Virtualização: A nossa vida está sendo invadida pela virtualização, já faz parte de nós, é sair da presença, é abandonar o território. Gera a sensação de desassossego frente às constantes mudanças. Virtualização é a prática, ou seja, tudo o que podemos fazer no real podemos também fazer no virtual, mas em forma de representação.

    Territorialidade: Entendo que é como um sistema de representação, que nos dá a individualidade aos espaços vizinhos, é como elementos representativos da existência de um território na Internet, que nos permite participar de fluxos de informações. O território na Internet é uma representação das fronteiras desse território, são como espaços de fluxo de comunicação que nos proporciona partilhar uns com os outros as nossas representações. A Internet fez surgir novos espaços e motivos de encontro, como por exemplo, os cybercafés e os jantares dos componentes do IRC.

    ResponderExcluir
  9. “Um lugar chamado Bloguistão”. Programa “Cronicamente Viável”, com a participação do jornalista e blogueiro Ricardo Noblat e do escritor e também blogueiro Ferréz.

    Os Blogs são espaços de relacionamentos encontrados dentro do Ciberespaço. Para Noblat, blog é um espaço onde se põe notícias, dá link para outras coisas, tem um espaço de comentários e o blogueiro interage com as pessoas. Os blogs representam um novo fenômeno em comunicação, por isto vemos profissionais que têm seu trabalho em algum veículo tradicional e que também possuem blogs. Um assunto tratado na entrevista foi a questão de que nos blogs podemos encontrar e desenvolver bases do jornalismo, como o compromisso com o leitor, a necessidade de interagir, retomando a discussão a cerca da necessidade, ou não, do diploma para poder repassar informações e ser considerado uma fonte confiável de notícias. Sobre esta credibilidade atribuída aos jornalistas, Noblat deixa bem claro seu ponto de vista afirmando que não precisa ser jornalista para que se tenha a credibilidade necessária e que ver muitos blogs que faz coisas muito melhores do que os jornalistas.
    Como a Internet é um espaço público, tudo que é exposto é de livre acesso a todos e não é possível frear a reação do público que lê e deseja comentar algo. Os usuários comentam, acrescentando e reformulando o que foi publicado com as novas informações que trazem. Mas nem sempre os leitores comentam sobre o assunto levantado, às vezes falam sobre suas vidas, trazendo suas histórias e conhecimentos às discussões. Assim, o blog pode ser considerado um espaço de debate, mas não necessariamente um debate crítico, interessante e relevante.
    O blog pode ser um ponto de encontro de pessoas dentro da rede, onde quem realmente freqüenta tem hora certa para se encontrar com amigos virtuais. Isso é um efeito da desterritorialização e do individualismo, que retiram o ser humano de seu centro atual e o colocam na esfera virtual, onde pessoas procuram a sensação de segurança de estar falando com pessoas que a entendem dentro de um espaço público virtual.

    ResponderExcluir
  10. ALUNA: KARINA
    E-MAIL: karina.sara@hotmail.com
    TEXTO: NOBLAT E FERRÉZ

    De forma geral a discursão sobre meios de comunicação é sempre interessante. A internet é um dos meios mais democráticos que já conheci, pois trata dos mais diversos assuntos. Pude puxar, por exemplo, a democracia,que já foi discutida tanto antes como agora no meio virtual quanto no atual. Partindo desse princípio, engajarei em discutir as possibilidades que o blog oferece a mim, como leitora e acho uma das forma mais democrática, pois ali as pessoas não são apenas leitoras, mais também contribuidores, por haver uma interação entre elas e também a liberdade para postarem seus comentários e dar suas opiniões. Assim temos chance de falar aquilo que pensamos sobre determinado assunto. O problema do blog, como em tudo que venha aparecer de novo no mercado, sempre haverá interesses por trás, o nosso conhecido capitalismo, qualquer que for o setor, fazendo com que perda-se essa liberdade que só a internet é capaz de nos proporcionar quebrando as fronteiras que existem em outros meios de comunicação.

    ResponderExcluir
  11. OBSERVAÇÃO: Professor, desculpe por não ter postado antes, pois tive um emprevisto o qual me impossibilitou de postar antes. Peço-lhe que me reconsidere a questão. Obrigada!
    Aluna Karina R. Mota - Turno Manhã

    ResponderExcluir
  12. AP1
    Aluna Karina
    1. Definir Ciberespaço e Cibercultura
    Ciberespaço se relaciona com alguém mais que o intermediador implica no meioo qual está sendo usado para essa pessoa se comunicar, por exemplo, o orkut é um site de relacionamento para que essa pessoa interaja só é necessário que ela tenha acesso a internet, ou seja, será esse meio que conduzirá-la para esse relacionamento com outra pessoa do outro lado da tela.
    Cibercultura está em cada um de nós pois envolve a troca diariamente, através de informações no meio em que vivemos. A tecnologia são formas as quais cada vez mais vem nos integrando a essa nova forma cultural, quebrando fronteiras tanto no espaço quanto no tempo, nos dando oportunidade para aproximar-se mais do outro, onde essa aproximação quebram entraves existente em muitos de nós. Agora somos emissor e receptor ao mesmo tempo já que essa tecnologia nos proporciona das mais diversas oportunidades.

    2. Discutir os conceitos a partir dos texto de Lídia Oliveira Silva
    Espaço Público: quem muito de nós já não se queixaram da falta de comunicação, seje entre a família ou entre os amigos. Com o virtual, muitas portas se abriram, nos dando oportunidade para ter uma comunicação mais aberta sem conflitos. A internet é um espaço que nos foi proporcionado onde podemos expor muitas coisas que pensamos, desprendendo-nos daquele medo que nos carregamos ao longo de nossas vidas.
    Virtualização: vivemos num mundo globalizado onde o virtual é a principal sensação do momento, mais que já está procurando emitir o real que muitos de nós queremos esquecer em algum momento, pois o virtual é a sedução e a realidade e a não a desilusão.
    Territorialidade: É a representação do espaço ou seja, a internet podemos ser participantes, de forma que tanto podemos ser emissor como receptor. O território na internet é uma forma de representação onde onde a comunicação pode ser proporcionada entre as pessoas, havendo um encontro entre as comunidades que são interações dentro desse espaço.

    ResponderExcluir
  13. Tâmara Gradela tgradela@yahoo.com.br
    para Lins Gadier jjunior@fanor.edu.br
    data 4 de outubro de 2009 13:15
    assunto AP1 - Cibercultura

    Prof., em primeiro lugar, gostaria de me desculpar pela ausência na sexta, mas é porque não tive realmente como ir pois não tinha com quem deixar o meu filho, espero que a Vivalda tenha lhe dado o recado. Segundo, como somente fiquei sabendo hoje, quais seriam e que as perguntas poderia ser entregues por e-mail até ontem às 10h da manhã, então mesmo assim estou lhe enviando as mesmas respondidas, ok?!
    Mais uma vez desculpas pela ausência no debate.

    1) CIBERCULTURA - um dos novos meio de comunicação de massa que utiliza-se das tecnologias para se propagar. Se relaciona com informações sociais, ou culturais através do Ciberespaço. Aproxima ainda mais os indivíduos.

    CIBERESPAÇO - como já falado no item anterior, é a ferramenta que proporciona a relação emissor - receptor. Com o avanço da tecnologia e com o cotidiano do ser-humano a "relação física" entre indivíduos ficou um pouco escassa, porém através do ciberespaço a pessoa tem seu próprio tempo e espaço para se relacionar com quem quiser e de que forma desejam.

    2) ESPAÇO PÚBLICO - com a "individualização" criada nesses últimos anos, onde a família já não mais de reúne para falar sobre o seu dia, e quando o faz, por vezes, discutem de forma não saudáveis, abalando o relacionamento entre eles. Os mesmo então, se beneficiam ao acessar a internet e ter diante de seus olhos um meio de se comunicarem com quem quiser sem ocorrer esses abalos reais, utilizando-se de comunidades virtuais.

    VIRTUALIZAÇÃO - é a prática, ou seja, tudo o que podemos fazer no atual podemos também realizar no virtual, e às vezes em proporções maiores porém de forma idealizada, vocês se transpondo àquele meio.

    TERRITORIALIDADE - na internet este território são como espaços de fluxo de comunicação que com através de representações partilhar momentos com outros.

    ResponderExcluir
  14. Gostei muito da entrevista, foi de informações proveitosas para o nosso conhecimento, pude entender um pouco mais como funciona esse mundo de informações e descontrações.
    O principal assunto que achei, foi da importância do blogueiro interagir com os leitores, também concordo. O espaço passa a ter um acompanhamento e a interação é o que diferencia o Blog de outras colunas eletrônicas. Talvez seja esse o motivo que diferencie e traga o sucesso para o seu blog, tão visitado.
    No blog a comunicação é feita de uma maneira muita rápida, e cheia de debates, opiniões e desabafos.
    Muito legal também foi ele colocar diferenciais, inovando cada vez mais o blog, com rádio 24h, tem uma sessão chamada biblioteca, editoriais, ele conseguiu formar até uma programação para o blog.
    Sobre a renda ainda falta muito para um bom reconhecimento, eu achei, principalmente aqui no Brasil, esperamos que isso venha mudar pois é um trabalho levado á sério e também batalhado como dos jornalistas.

    Entrevista com Ricardo Noblat

    ResponderExcluir
  15. SOBRE BLOGS!
    No semestre anterior estudei um pouco mais sobre os blogs. Confesso que até então, achava que blog era meio que um "diário virtual", onde pessoas que não temiam se expor, postavam na rede coisas que aconteciam na sua vida.
    Depois desse estudo e de te contato com blogs jornalísticos, inclusive com o do Ricardo Noblat, passei a entender que papel os blogs ocupam na comunicação pela rede.
    Os blogs se caracterizam como construções on line mais subjetivas, voltadas para a criação artística ou para a crônica pessoal. Os blogs de opinião, caracterizam-se pela espontaneidade e personalismo. Os jornalistas, embora desempenhem papel importante na legitimação e difusão de temas e prioridades políticas, passam a participar de um espaço opinativo mais permeável à interação entre emissores e receptores.
    A atualização é característica marcante e junto com a instantaneidade são importantes para manter o leitor em dia com os fatos diários.

    ResponderExcluir
  16. 1) Definir ciberespaço:
    Compreendo o ciberespaço como o local, o ambiente, de convivência de uma comunidade mundial. O ciberespaço é a queda dos muros. O redimensionamento de tempo, espaço e também matéria. Uma nova noção de espaço, onde não há limites físicos ou definições de área e/ou medidas, em que a distância deixa de ser relativa a um referencial. Não importa se meu amigo está no computador do apartamento ao lado ou no micro de um café em Amsterdã, nossa distância é a mesma, ou nenhuma, já que não pode ser calculada, medida ou percorrida. Nesse mundo, a imaginação, os pensamentos, as leituras e as significações são corporificadas e os corpos ficam restritos à imaginação. Há uma inversão de papéis.

    2) Definir cibercultura:
    Se no ambiente virtual o espaço e o tempo são outros, as relações, os valores, os hábitos são outros também. Se cultural é a identidade própria de um grupo humano em um território e num determinado período, pensar a cibercultura é uma verdadeira revolução social, é mais uma importante quebra de paradigma que a virtualidade nos presenteia. No ciberespaço, as fronteiras não são mais decisivas para a construção de grupos culturais. A rede favorece o choque cultural e a troca cultural. Daqui pra frente, como se dará a herança cultural? Na cibercultura, a cultura e a identidade são múltiplas e híbridas.

    3) A partir do texto do texto “A Internet – a geração de um novo espaço antropológico”, de Lídia Oliveira Silva, discutir:

    - Espaço público
    Nós, humanos, seres sociais, estamos vivendo e praticando uma realidade cada vez mais individual – sempre voltados para o meu carro, o meu quarto, a minha sala, o meu escritório, a minha conta, as minhas necessidades, a minha vida... O convívio familiar e com a comunidade está cada vez mais restrito e a velocidade do cotidiano e a violência só agravam essa realidade. Em contrapartida a esse isolamento, nos deparamos com a construção social na rede, onde o contato e a comunicação acontecem em grande escala e crescem constantemente. Nessa perspectiva, a internet compensa a solidão da vida privada com a possibilidade de disseminação e de navegação, onde fortes vínculos surgem sem o contato físico, ou seja, somente na esfera dos sentimentos – que me parece ser a base das relações e das emoções. Além disso, apesar da existência daquilo que a autora chama de “áreas de privacidade”, a internet é também considerada um espaço público à medida que oferece de forma ampla e global a possibilidade de comunicação, interação, informação, troca de conhecimento, relacionamentos, etc, tudo ao alcance do eu e do não eu.

    ResponderExcluir
  17. - Virtualização:
    Esse ponto é sensacional e estimulante. É a virtualidade mais uma forma de manifestação do real e, portanto, o virtual passa a assumir a condição de real. Considerando que o virtual e o real estão interligados por uma membrana sutil e permeável, a virtualidade (através da internet) já nasceu influenciada pelas normas e características da vida atual; no entanto, o virtual causa fortes mudanças e interfere drasticamente nesse contexto. A virtualidade é a potência de ser, o que somos e o que podemos ser, o centro da imaginação. O advento da informática permitiu a expansão da virtualidade, onde a imagem é o real, o conceito é o real, o conhecimento é uma representação da realidade. Em todas essas nossas leituras e conversas recentes, uma das definições que mais me chamou atenção foi uma que dizia que a virtualidade pode ser qualquer coisa, mas é coisa alguma.

    - Territorialidade:
    Para essa reflexão, parto da seguinte afirmação: “por um lado, o sujeito está simultaneamente enraizado num lugar físico (a partir do qual produz e partilha informação e relações) e suspenso na pluralidade de lugares que a navegação na rede lhe permite, por outro lado tanto no espaço físico quanto no espaço virtual existem lugares e não-lugares”. Normalmente, falamos de território como uma região demarcada por fronteiras que conjuga os mesmos traços culturais. Na internet, as fronteiras não existem. Já as significações são o que permitem a noção de território, por uma identidade cultural semelhante. No entanto, não temos mais territórios únicos e isolados. Na rede, as zonas de interseções são a grande maioria, quem sabe até a totalidade.

    ResponderExcluir